Copiando código JavaScript de terceiros.

Por ser uma linguagem interpretada e por rodar no cliente, o JavaScript permite “bisbilhotar” o código dos outros. Mas não se sinta culpado por isso. Os programadores vivem copiando coisas e essa é uma atividade salutar na linguagem. Alguns minificam as bibliotecas mas a maioria as deixa legíveis mesmo. Ao exibir o código de uma página, você verá um texto parecido com o exemplo abaixo:

<script type=”text/javascript” src=”//service.maxymiser.net/api/us/amil.com.br/df1463/mmapi.js”>

Este comando anexa o arquivo [ nmapi.js ] à página atual do mesmo provedor.

Ao acessar o endereço, você pode achar uma série de funções, minificadas ou não. Se você tiver que desminificar a biblioteca, poderá usar um dos utilitários oferecidos online, gratuitamente:

Já para minificar o código podemos usar o site do Dean Edwards:

As páginas a seguir foram testadas no site beautifier.io:

Código Minificado

Código deminificado. Observe que os nomes originais das variáveis não podem, obviamente ser recuperados.

Você pode, por exemplo, usar uma função que está em outro site (outro domínio, na verdade) para validar um cpf em sua própria página. Isso economiza um bocado de tempo de programação. Mas é aconselhável você copiar e analisar o código antes de usá-lo em sua própria aplicação. Procure por algum item que inviabilize seu uso, como:

  • O código tem copyright e não é livre;
  • Não há garantias de que aquele código estará sempre lá;
  • As funções executam instruções que podem vir a ser riscos de segurança.

Eu já vi páginas web que pararam de funcionar porque o programador simplesmente anexou código de outro domínio. Quando esse código mudou de endereço, um sistema importante perdeu a consistência. Definitivamente, não faça isso, mesmo que você esteja sob grande pressão. Seu gerente tem a obrigação de aliviar esse stress.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *